Parabéns aos 22 anos do SATEMRJ

Roberto Pereira, Presidente do SATEMRJ

Há 22 anos atrás, foi fundado o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Rio de Janeiro – SATEMRJ, por força do artigo 8° da Constituição Federal, que garantiu o direito dos trabalhadores de poderem se organizar em suas entidades de classe, dando a eles a liberdade e autonomia sindical.

É importante frisar que o SATEMRJ é a entidade sindical mais jovem no seio da categoria de enfermagem. Ate a fundação da nossa entidade, os auxiliares e técnicos em enfermagem sempre ficaram a margem dos debates políticos de participação e de nenhuma decisão. Com a fundação do SATEMRJ, e ao longo desses 22 anos que hoje estamos comemorando, a nossa categoria já tem voz, voto e vem crescendo não só no campo técnico, mas também no campo político. Teríamos vários exemplos a citar, que não se fazem necessário devido o reconhecimento das autoridades Municipal, Estadual e Nacional e principalmente o respeito, a credibilidade e a consolidação que os auxiliares e técnicos de enfermagem vêem na sua representação de classe como um instrumento de luta, de poder defender, reivindicar, conquistar inúmeras vitórias que hoje a categoria faz jus.

Esses 22 anos significam muita persistência, coragem e determinação, inclusive colocando a minha integridade física em risco por diversas vezes, embora mesmo com dificuldades e sacrifício, mesmo assim tendo que supera-las por um único objetivo, ideológico, no sentido de poder continuar a defender  esses profissionais que em pleno século XXI, ainda são oprimidos e muitas vezes assediados moralmente.

Para manter essa chama acesa é que tudo isso vem sendo feito apesar de inúmeras adversidades que o SATEMRJ vem enfrentando no campo político, dando a impressão, que essas adversidades que fazem é no sentido de não ver uma categoria que está diuturnamente a beira do leito do cliente/paciente desenvolvendo praticamente quase todas as atribuições da assistência de enfermagem, muitas delas violando frontalmente a lei do exercício profissional, a lei 7498/86. Mesmo esses profissionais sabendo que muitas funções não deveriam ser desenvolvidas por eles, acabam desenvolvendo por uma questão de respeito e profissionalismo aos enfermos, independente de Resoluções, Decretos, Leis e etc, mas fazem em defesa da vida que é a essência social da nossa profissão.

No campo político essa adversidade passa a ser ainda maior, não só por sermos no Brasil, aproximadamente 1.250.000 (um milhão, duzentos e cinqüenta mil) auxiliares e técnicos em enfermagem, mas a impressão que dá é uma tentativa de cercear a organização política nacional desses profissionais. Não tenho dúvida que na sua grande maioria vem crescendo com senso crítico, se conscientizando a cada dia que passa do importante papel social que possui, buscando reconhecimento e valorização. Parece que a organização Estadual e Nacional da nossa categoria, certamente já está incomodando, até porque está disputando poder e buscando espaço político como também poder de decisão.

Gostaria de agradecer em especial a Diretoria fundadora, a qual fiz parte, e todas as outras que estiveram à frente de nossa entidade que direta ou indiretamente deram alguma contribuição para o crescimento e fortalecimento do SATEMRJ.

São os meus sinceros agradecimentos e aos colegas Auxiliares e Técnicos em Enfermagem todo o meu respeito.

SATEMRJ agradece ao pronunciamento do senador Paulo Davim (PV-RN).

A diretoria do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Rio de Janeiro – SATEMRJ, agradece o pronunciamento do nobre senador em plenário do Senado, no dia 14 de março de 2012, fazendo um apelo aos deputados da Câmara Federal, para que coloque na ordem do dia o PL 2295/2000 solicitando aprovação das 30 horas semanais dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem.

Veja abaixo um trecho da defesa do Exm. senador:

Paulo Davim advertiu que os importantes avanços na área médica, principalmente na parte de equipamentos para exames e tratamentos, passaram a exigir maior treinamento e capacitação dos profissionais de saúde. É necessário também que os profissionais estejam descansados e concentrados para evitar erros no atendimento ou no diagnósticos dos pacientes. Erros que, no entendimento do senador, correm mais riscos de ocorrer quando os profissionais enfrentam cargas excessivas de trabalho.

O SATEMRJ informa que o PL 2295/2000 encontra-se na pauta de votação aproximadamente há dois anos, mas não entra na ordem do dia, apesar de inúmeros requerimentos de deputados federais, que solicitam aprovação desse projeto.